segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Recepção de animais para na Expointer

     Os fiscais estaduais agropecuários vão cruzar os braços hoje e até quinta-feira na Expointer das 12h às 18h. A paralisação é parte do protesto dos servidores pelo parcelamento dos salários. A orientação da Associação dos Fiscais Agropecuários do RS é de paralisar totalmente as atividades, dentro da feira, de 31 de agosto a 3 de setembro neste horário. A atuação dos servidores nos julgamentos de animais neste período também deve ser suspensa.

     No interior do estado, a categoria deve manter 30% das Inspetorias de Defesa Agropecuária em funcionamento já a partir de hoje pela manhã. Os trabalhos de inspeção devem suspensos nos dias 2 e 3 de setembro.

     Sexta-feira, dia da Abertura Oficial, os fiscais agropecuários vão realizar caminhada e mobilização durante os discursos da Abertura Oficial da Expointer, juntamente com servidores e entidades de outras categorias.

      O Rio Grande do Sul conta com aproximadamente 500 fiscais agropecuários, destes 150 atuam na fiscalização de estabelecimentos de inspeção estadual e os demais na defesa agropecuária, no nível central e inspetorias. Na Expointer 2015 atuam em torno de 60 fiscais.

Durante o fim de semana de calor atípico, dois jovens morreram afogados na Zona Sul.

O primeiro caso aconteceu na tarde de sábado (29) em um lago localizado nas proximidades de um areal às margens da BR-392. Marco Aurélio Machado Júnior, 14, desapareceu quando se banhava no local na companhia de dois amigos. O corpo só foi encontrado na manhã deste domingo por mergulhadores.
Em São Lourenço do Sul, de acordo com a guarnição do Corpo de Bombeiros do município, a vítima foi Felipe Drawanz, 18 anos. Ele desapareceu em um açude na localidade de Fortaleza, 1º Distrito, na tarde deste domingo, quando tomava banho na companhia de outros cinco adolescentes. Ele era o mais velho do grupo. Segundo as testemunhas, Felipe saltou na água e, após, não foi mais visto. Seu corpo foi encontrado pelos bombeiros por volta das 18h. DP

Desfile Farroupilha é cancelado em Herval

Prefeito Ildo ao tratar a programação Farroupilha com o patrão do CTG Minuano Vinicius Gonçalves
    
















        No dia 24 de agosto, autoridades do município estiveram reunidas para tratar os procedimentos a serem tomados em relação à doença do mormo, a qual foi diagnosticada no Rio Grande do Sul.
     O prefeito Ildo Sallaberry, juntamente com o secretário de Agropecuária e Desenvolvimento, Fernando Silveira, com apoio da Promotoria de Herval, discutiram com o médico veterinário João Bosco Mesquita, responsável pela Inspetoria de Defesa Agropecuária, o patrão do CTG Minuano, Vinicius Gonçalves e o médico veterinário da Prefeitura, Robson Rivero, as questões que envolvem a movimentação de equinos nas comemorações alusivas à Semana Farroupilha.
      Após os devidos esclarecimentos, ficou acordado que haverá a cavalgada em busca da Chama Crioula, com saída programada para o dia 09 de setembro, ao município de Cerrito, porém todos os cavalos que irão deverão cumprir rigorosamente os procedimentos exigidos pela Secretaria Estadual da Agricultura. Já o desfile a cavalo alusivo ao dia 20 de Setembro, ficou definido que não haverá em razão da dificuldade de controle sanitário no trânsito dos animais.
“Iremos realizar a cavalgada da Chama Crioula, as Rondas Crioulas no CTG Minuano e um Rodeio na arena, somente com montarias em bovinos”, informa Vinicius Gonçalves, patrão do CTG.

       A doença - o mormo provoca problemas respiratórios nos equinos e pode ser transmitido para seres humanos, podendo levar à morte. A doença era considerada erradicada do Estado, até o aparecimento do primeiro caso em junho em Rolante, no Vale do Paranhana.


Nívea Bilhalva de Oliveira

Escola Monteiro Lobato



Semana Farroupilha

Divulgado

Divulgados os shows que irão acontecer no Acampamento Farroupilha durante a semana de 14 a 20 de setembro de 2015.

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Manifesto de professores

Em caminhada na manhã desta terça-feira (25) pelas ruas centrais da cidade professores da rede estadual de ensino realizaram manifestação pedindo apoio da comunidade e dos pais e protestando contra o governo do Estado. Alunos também participaram do manifesto carregando cartazes e faixas.

MAIS DEFINIÇÕES SOBRE A SEMANA FARROUPILHA

        Na noite desta segunda-feira, em reunião aberta no Centro de Cultura Basílio Conceição, o coordenador da busca da chama Nero Caetano comunicou aos piquetes que, aqueles que apresentarem o exame de seus cavalos negativo para o Mormo, poderão participar da busca até a cidade do Cerrito.
       O prefeito Luis Henrique Pereira da Silva, em seu pronunciamento, revelou que até o presente momento tem feito inúmeras reuniões para ouvir opiniões técnicas que embasem a suas decisões. O prefeito afirmou que esteve em audiência com a secretaria de agricultura do Estado para saber o seu posicionamento e, teve como reposta que o governo apenas irá fiscalizar, mas que a decisão da realização ou não dos eventos é de responsabilidade dos gestores municipais. Além disso, em conversa com a promotora de Arroio Grande, esta declarou-se contra qualquer movimentação de cavalos no município. Também foram ouvidos veterinários e, na reunião desta segunda-feira, estavam presentes as veterinárias da secretaria de agricultura do Estado Michele e Sandra que deram seu parecer ao prefeito.
       Para a busca da chama, Nero Caetano esclareceu que serão tomadas todas as medidas necessárias para a fiscalização dos cavalos que farão parte deste movimento, tanto na saída da cidade, onde receberão um anel de identificação, quanto na chegada à cidade de Pedro Osório onde serão recebidos por uma equipe de fiscais que também farão a inspeção.
      Quanto aos desfiles do dia 20 de setembro, o prefeito deixou claro que tem 99% de chance de não acontecer, devido à falta de mão de obra suficiente para realizar a fiscalização. "O número de cavalarianos na Dr. Monteiro é muito grande, ultrapassando os 1.100. Então é muito difícil controlar quem tem o exame - e consequentemente o passe livre para desfilar - e quem não tem. Assim, é praticamente inexequível a organização do desfile. Mas, ressaltou que ainda está aberto à sugestões que poderão vir de qualquer cidadão. Henrique deixou claro, no entanto, que a decisão final será sua, pois é de sua inteira responsabilidade qualquer problema que por ventura possa acontecer.
       Também ainda está em aberto a realização da gineteada no Acampamento Farroupilha. Essa é outra questão que precisa ser bem avaliada. Mas temos que esperar mais alguns dias para termos certeza da decisão que precisamos tomar.


Justiça do Trabalho organiza mutirão de audiências para quitar dívidas de processos pendentes

A 5ª Semana Nacional da Execução Trabalhista será realizada de 21 a 25 de setembro. Trabalhadores e empregadores interessados em resolver seus processos podem solicitar audiência de conciliação para o período. O parcelamento da dívida é uma das alternativas para trabalhadores e empresas chegarem a um acordo.
A Justiça do Trabalho promoverá, entre 21 e 25 de setembro deste ano, a 5ª Semana Nacional da Execução Trabalhista. Durante o período, unidades judiciárias de todo o Estado realizarão audiências de processos em fase de execução, na tentativa de fechar acordo entre as partes. A execução é a etapa processual que visa a garantir, forçadamente, o pagamento de uma dívida trabalhista que não foi paga espontaneamente pelo condenado. Na ausência de pagamento, a Justiça pode recorrer a penhora de bens e de valores em contas bancárias pertencentes aos devedores.
Trabalhadores e empresas com processos em fase de execução e dispostos a fazer acordo com a parte contrária podem solicitar uma audiência na pauta da Semana. O interessado deve preencher formulário disponível no site do Tribunal Regional do Trabalho do Rio Grande do Sul (www.trt4.jus.br) ou contatar diretamente a Vara do Trabalho em que tramita a ação (endereços e telefones também podem ser consultados no site do TRT-RS). No Estado, 65 municípios possuem unidades da Justiça do Trabalho. A solicitação será avaliada pelo juiz, que verificará se o processo se enquadra na campanha e se há possibilidade de as partes chegarem a um acordo. Para ações que tramitam no segundo grau, o contato deve ser feito com o Juízo Auxiliar de Conciliação do TRT-RS, pelo número (51) 3255-2050.
Possibilidade de parcelamento
Uma das possibilidades de acordo na fase de execução é o parcelamento da dívida. Conforme o gestor regional da Execução no TRT-RS, juiz Ricardo Fioreze, o reclamante normalmente quer o pagamento em parcela única, mas, para não abrir mão de valores em um eventual acordo, acaba aceitando receber a quantia de forma parcelada. “As chances de conciliação são boas neste caso. Muitas vezes o devedor não tem condições de pagar R$ 5 mil, R$ 10 mil ou R$ 20 mil de uma vez só, mas se dispõe a pagar o valor integral em prestações. O número de parcelas é definido entre as partes, bem como a multa em caso de atraso ou inadimplência”, explica o magistrado.
Segundo o artigo 745-A do Código de Processo Civil, o próprio juiz pode deferir o pagamento em parcelas, sendo 30% do valor no ato e o restante em até seis prestações. A multa por inadimplência, no caso, é definida pela própria lei: 10%. “O juiz pode utilizar essa prerrogativa quando percebe que o parcelamento é o melhor caminho para viabilizar o pagamento da dívida”, afirma Fioreze.
Instituída pelo Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), a Semana Nacional da Execução Trabalhista é realizada anualmente. Seu objetivo é promover ações coordenadas que confiram maior efetividade a essa fase processual, considerada o principal gargalo na tramitação das reclamatórias. No Rio Grande do Sul, cerca de 202 mil processos de execução estão em andamento.
Além das audiências de conciliação, as unidades também intensificarão durante a semana o uso de ferramentas tecnológicas que visam a penhora de bens dos inadimplentes, caso do BacenJud (penhora de valores em conta bancária), RenaJud (consulta sobre veículos em nome de devedores) e InfoJud (consulta sobre o patrimônio dos devedores, por meio de convênio com a Receita Federal).

SAIBA MAIS

O que é a execução trabalhista?
A execução trabalhista é a fase do processo em que se impõe o cumprimento do que foi determinado pela Justiça, o que inclui a cobrança forçada feita a devedores para garantir o pagamento de direitos. A fase de execução só começa se houver condenação ou acordo não cumprido na fase de conhecimento, em que se discutiu ou não a existência de direitos.
Quando e como se inicia a execução trabalhista?
A execução trabalhista tem início quando há condenação e o devedor não cumpre espontaneamente a decisão judicial ou quando há acordo não cumprido. A primeira parte da execução é a liquidação, em que é calculado, em moeda corrente, o valor do que foi objeto de condenação. A liquidação pode ocorrer a partir de quatro tipos de cálculos: cálculo apresentado pela parte, cálculo realizado por um contador judicial, cálculo feito por um perito (liquidação por arbitramento) e por artigos de liquidação (procedimento judicial que permite a produção de provas em questões relacionadas ao cálculo).
Os valores definidos na execução trabalhista podem ser contestados?
Sim. Antes de proferir a sentença de liquidação, o juiz do Trabalho pode optar por abrir vista às partes por um prazo sucessivo de dez dias para manifestação sobre o cálculo, em que devem ser indicados itens e valores objeto da discordância, sob pena de preclusão (perda da oportunidade de impugnar o cálculo depois), conforme o art. 879, § 2º., da Consolidação das Leis do Trabalho. Já o art. 884 da CLT possibilita a homologação direta dos cálculos pelo magistrado, com possibilidade de eventual impugnação posterior, quando efetuado o depósito do valor em conta judicial ou realizada a penhora do bem de valor igual ou superior ao da execução.
O que acontece após a definição do montante a ser pago?
Proferida a sentença de liquidação, o juiz expede mandado para que o oficial de Justiça intime a parte condenada a pagar a dívida mediante depósito de dinheiro em juízo ou oferecimento de bens a penhora no prazo de 48 horas. Os bens penhorados ficam sob a subordinação da Justiça para serem alienados (transferidos ou vendidos) e não podem desaparecer ou serem destruídos. Caso isso ocorra, o responsável designado pode responder criminalmente como depositário infiel.
Quais os recursos judiciais possíveis durante a execução trabalhista?
Efetuado o depósito ou a penhora, as partes têm cinco dias para impugnar o valor da dívida, desde que o juiz não tenha aberto prazo para contestação antes de proferir a sentença de liquidação ou que, aberto o prazo, na forma do § 2º, do artigo 879, da C.L.T., a parte tenha impugnado satisfatoriamente. O exequente pode apresentar um recurso chamado “impugnação à sentença de liquidação”. Já o recurso que pode ser interposto pelo executado é chamado de “embargos à execução”. Após decisão do juiz sobre quaisquer desses recursos, é possível ingressar com um novo recurso, chamado de ”agravo de petição”, no prazo de oito dias. Esse recurso é julgado pelo Tribunal Regional do Trabalho correspondente. Recursos aos tribunais superiores no processo de execução trabalhista só são possíveis em casos de violação à Constituição Federal.
Em que momento ocorre a venda dos bens penhorados?
A alienação dos bens penhorados durante a execução trabalhista só ocorre após o trânsito em julgado do processo de execução, ou seja, após decisão final sobre o montante devido, sem que haja qualquer recurso pendente de julgamento ou quando se tenha esgotado o prazo para recorrer sem que qualquer das partes tenha se manifestado. A partir daí, o depósito judicial é liberado para o pagamento da dívida ou o bem penhorado é levado a leilão para ser convertido em dinheiro.
O que acontece se o devedor não tiver bens para o pagamento?
O processo vai para o arquivo provisório até que sejam localizados bens do devedor para pagamento da dívida trabalhista.

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Soccer Girls vencem a primeira partida no citadino de Jaguarão

As jogadoras: Lara, Tainã, Priscila, Kamila, Bryane, Pâmela, renata, Érica, Jéssica, Olga, Luisa e Siély. Junto o técnico Otávio Falcão.

A equipe Soccer Girls de Arroio Grande venceu a primeira partida do campeonato citadino de Jaguarão, na última sexta-feira. Com um placar de 9 x 5, as craques venceram a poderosa equipe M4 - uma das favoritas da competição. Os gols de Jéssica, Olga e Suély foram decisivos para impor o ritmo de jogo e a vantagem na partida. O próximo jogo está marcado para o dia 18 de setembro.

ZUMBA FESTA

O sábado de muita agitação no Clube Caixeiral com a realização da Zumba Festa. Parabéns aos organizadores e que venha a próxima edição!

CTG TROPEIROS DA QUERÊNCIA COMEMORA 50 ANOS COM LEMBRANÇAS E HOMENAGENS

      O domingo, 16 de agosto de 2015, foi uma data especial para a entidade tradicionalista mais antiga do município de Arroio Grande. O CTG Tropeiros, que comemora 50 anos de fundação, vem desenvolvendo uma série de atividades alusivas à data. Um grande encontro de pessoas que fizeram a história do CTG, desde o “Grupo Folclórico Farroupilha”, foi promovido pelos organizadores. Estiveram presentes, os ex-patrões Ermínio Lucena, Vilson Amarilho, Volni Vieira, Pedro Mendes, João Felisberto Vieira, Jandir Salaberry, Felipe Costa, José Dutra, Cleinner Teixeira, e os representantes de José Thomáz da Silva, Marino Iglesias, Celso Brito, Nézio Teixeira, Flávio Lisboa, José Neves e Solismar Venzke, que receberam as homenagens pelos serviços prestados ao longo destes cinquenta anos. Também foram lembradas as Primeiras Prendas e Peões Farroupilhas da casa. O prefeito Luis Henrique Pereira da Silva fez a entrega de uma placa alusiva ao cinquentenário que foi descerrada na presença dos convidados. Na ocasião foi exibido um vídeo contando um pouco da história com fotos, depoimentos e informações. Como não poderia deixar de ser, a festa continuou por toda a tarde com as apresentações das invernadas mini-mirim, mirim, juvenil, xiru e teatro. No sábado a festa foi com a dupla Cesar Oliveira e Rogério Melo.







RECICLAR Comemora dois anos de atuação no município

      A Cooperativa Dos Catadores De Materiais Recicláveis De Arroio Grande realizou no sábado dia 15 de agosto na Sede do Esporte Clube Arroio Grande almoço de comemoração aos dois anos de atividades junto a Coleta Seletiva e também Divisão de Sobras; Estiveram presentes Diretoria da Cooperativa, Associados da Cooperativa, Secretario da Agricultura Flávio Augusto Pereira e Prefeito Luis Henrique Pereira, que no seu discurso parabenizou esta Cooperativa pelo excelente trabalho e falou da importante inclusão social, salientou a importância da participação da comunidade para que este trabalho tenha total êxito!

Rural Agricultores são beneficiados com Porjeto Habitacional

        Foi assinado na manhã de sexta-feira (14) na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Arroio Grande o convênio com a Caixa Econômica Federal e Cooperativa Habitacional da Agricultura Familiar (Cohaf), do Programa Nacional de Habitação Rural - PNHR que tem o objetivo de financiar a construção de casas para os agricultores familiares e trabalhadores rurais. Em Arroio Grande, serão sete agricultores beneficiados, sendo que cada um vai receber R$ 28.500,00. Deste valor total, o beneficiado terá que pagar 4%, ou seja, R$ 1140,00.

Fogo Simbólico

Na manhã desta quarta-feira (19), às 9hs30min chegou em Arroio Grande o Fogo Simbólico alusivo à Semana da Pátria. O Fogo chegou conduzido pelo Sargento Barrichini e pelo Capitão Neto que representam a Polícia do Exército e foi recepcionado por uma representatividade dos alunos das escolas municipais João Goulart, Neir Horner da Rosa e Silvina Gonçalves.
Posteriormente os alunos conduziram o Fogo até o quartel da Brigada Militar onde houve uma breve solenidade com a presença do Prefeito Luis Henrique Pereira da Silva, do Comandante da Brigada Lackmam e do Secretário de Educação José Roberto Hernandes além de professores e diretores da rede municipal. O Fogo permanecerá sob a guarda da Brigada Militar até o final de agosto e no dia 1º de setembro será conduzidoao palanque oficial para as festividades comemorativas à Semana da Pátria.



2º Dança Arroio Grande - Um evento espetacular Muitos espetáculos de dança, luz e som foi o que seviu nos dois dias deste evento que vem encantando visitantes e profissionais da área

A repercussão da realização da 2ª Edição do Festival Dança Arroio Grande tem sido bastante positiva. Logo no dia seguinte ao evento, inúmeras manifestações por parte de participantes, jurados e técnicos elogiando a organização, a agilidade e a qualidade de tudo que foi oferecido por parte dos organizadores.
Na sexta-feira, a Mostra de Dança, colocou no palco Zumba, Kalila, Camerini, GDT e Monteiro Lobato, que justificaram a realização de um evento de dança com essa magnitude no município. Arroio Grande tem um potencial para essa modalidade artística que merece realmente um grande festival.
Já no começo da manhã de sábado começaram a chegar os primeiros grupos para os ensaios e tudo estava pronto e organizado à espera dos bailarinos para que às 18horas fossem iniciadas as apresentações.
Dança de salão, dança contemporânea, dança livre, dança do ventre, jazz, dança de rua, foram as modalidades que se revezaram no palco com muito dinamismo. Ao final, na cerimônia de premiação, receberam os troféus as coreografias que se destacaram perante a avaliação dos jurados. O prefeito Luis Henrique Pereira da Silva  saudou os participantes e o público, enfatizando que este é um evento que veio para ficar e já se tornou patrimônio de Arroio Grande. O secretário de Cultura Sidney Bretanha citou dois jovens bailarinos da cidade: CrisSwing Dance e Itamar Silva - como símbolos de que a dança e a arte podem mudar a vida das pessoas. As professoras Cátia Botelho (Kalila) e Verônica Corrêa (Camerini) coordenaram os trabalhos junto aos jurados e à direção de palco, utilizando toda a sua experiência em festivais.





Escola Monteiro Lobato